quinta-feira, 5 de julho de 2007

1 - O Livro de Isaías

Veja debaixo de Assuntos (a seguir ao Espírito Santo) os posts sobre os profetas ...  

Grande parte do conteúdo dos comentários sobre os profetas do Antigo Testamento não foram escritos por mim, é claro.No entanto, representam muitos meses de investigação na Internet e um grande trabalho de coordenação para seleccionar e juntar o material que julguei ser de interesse para pastores e pregadores do Evangelho.

Além disso, eu tive que sistematizar os diversos comentários de forma estruturada e apresentável, para facilitar a leitura e os pastores e pregadores poderem encontrar facilmente as suas mensagens, bastando adicionar uma pequena dose de inspiração pessoal à mensagem escolhida.

"E a todo este trabalho de busca, selecção e sistematização dos comentários, eu adicionei ainda ideias pessoais que enriqueceram estas exposições dos livros dos profetas".


O livro de Isaías

I. Introdução

A. Manuscritos do Mar Morto (Qumran)

Numa manhã de inverno de 1946-1947, três pastores beduínos (nômados do deserto) da tribo Ta’amireh, que estavam com seu rebanho ali, quando à procura de algumas cabras, apercebem-se de duas aberturas na rocha. Ao enfiarem pedras pela abertura da rocha, ouve barulho de cerâmica quebrando. Dois dias após entraram na caverna, encontrando uma série de jarros. Assim começaram a ser encontrados os manuscritos.

Os trabalhos de escavações iniciaram em 15 de fevereiro de 1949 e terminou em 21 de março de 1958. Onze grutas, seis escavadas no flanco do terraço e cinco na base da falésia.

Além dos manuscritos hebraicos, foram encontrados gregos e aramaicos. Os gregos são fragmentos de Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Há fragmentos dos Targuns de Levítico e Jó. Os manuscritos concordam com o texto massorético e, indicam a existência de “protomassoréticos” entre os séculos I-III a.C Eram onze grutas , seis escavadas no flanco do terraço, cinco na base da falésia.

Na 1ª gruta, sete manuscritos. Várias obras sectárias. Dois manuscritos do livro de Isaías, um terceiro é comentário de Habacuque. Os quatro últimos rolos receberam nomes de acordo com seu conteúdo: Apócrifo de Gênesis, Regra (ou Manual de Disciplina), Regra da Guerra dos Filhos da Luz contra os Filhos da Trevas, e Hinos.

B. Mensagem:

Iremos ver neste estudo a mensagem do livro de Isaías, mas em resumo poderemos dizer que na sua mensagem, ele repreendeu Israel pelas convulsões sociais da Nação e pela sua política externa, além disso pronunciou-se contra a ameaça dos Assírios e foi o primeiro a mencionar com grande clareza a vinda de um Messias.


I I. O autor e data 

Autor:  Isaías

Alguns eruditos pensam que o livro foi escrito por três Isaías, como pode ler em baixo. Mas nós seguimos a posição dos eruditos que pensam que o Livro foi escrito por Isaías, por nos parecer mais de acordo com a Bíblia em geral, como iremos também ver em baixo.

Data:entre 740 e 681 a.C..

O profeta Isaías, viveu entre 740 e 681 a.C... e o seu ministério abrangeu pelo menos o reinado de três reis de Judá - Jeotão, Acaz e Ezequias.


I I I. Os escritores do Livro de Isaías 

A. Os 66 capítulos do livro de Isaías são todos dele mesmo?

De acordo com a teoria da crítica bíblica moderna, foram dois Isaías que escreveram o livro. Segundo eles, o Proto-Isaías escreveu os capítulos 1-39 e os capítulos 40-55 do livro de Isaías foram escritos por um profeta anónimo. A este profeta anónimo costuma chamar-se de Dêutero-Isaías, para o distinguir do primeiro. Ele viveu por volta de 550-539 a.C. e deu a sua consolação ao povo israelita que tinha sido feito prisioneiro e enviado para a Captividade Babilónica. Falava também num vassalo de Deus que iria trazer o povo de regresso a Israel.

Os capítulos 55-66 do livro de Isaías são tidos por alguns pesquisadores modernos como acréscimos posteriores ao Dêutero-Isaías, que por volta de 1900 se acreditou ser um terceiro autor (um terceiro Isaías), mas, de acordo com a teoria, podem ser vários.

Estes críticos baseiam os seus pontos de vista no facto de parecer que algumas partes da mensagem parece fazer menção de acontecimentos passados alguns séculos depois da morte de Isaías.

É claro que alguns destes críticos aceitam que existe uma unidade na mensagem, e que provavelmente são mensagens de Isáias, anunciadas mais tarde pelos seus discípulos.

B. Muitos teólogos acreditam num único Isaías e numa única mensagem.

A teoria de um único Isaías, e de uma única mensagem é aceite também por muitos estudiosos.

Isto, em primeiro lugar, porque existe uma unidade total na mensagem do livro, que demonstra que estas mensagens foram pronunciadas pelo mesmo profeta.

Segundo estes, Isaías é o autor e o escritor de todas as mensagens. Mas, se em último caso não foi o escritor de todas as mensagens, pois estas mensagens foram escritas posteriormente, isto só poder ter sido por discípulos seus que seguiram a sua linha de pensamento.

Além da unidade da mensagem, há o facto de Isaías ser referido pelo Senhor Jesus, por Lucas e pelo apóstolo Paulo, como o autor da mensagem do livro de Isaías, como vemos nos textos em baixo:

Mateus 3:3 A respeito de João, o profeta Isaías tinha escrito o seguinte: "Alguém está gritando no deserto: Preparem o caminho para o Senhor passar! Abram estradas retas para ele!"

Mateus 4:13 "e, deixando Nazaré, foi morar em Cafarnaum, situada à beira-mar, nos confins de Zebulom e Naftali; 14 para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: 15 Terra de Zebulom, terra de Naftali, caminho do mar, além do Jordão, Galiléia dos gentios"!

Mateus 4:14 "Isso aconteceu para se cumprir o que o profeta Isaías tinha dito: 16 O povo que jazia em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região e sombra da morte resplandeceu-lhes a luz."

Mateus 8:17 "Jesus fez isso para cumprir o que o profeta Isaías tinha dito: "Ele levou as nossas doenças e carregou as nossas enfermidades."

Mateus 13:14 E assim acontece com essas pessoas o que disse o profeta Isaías: "Vocês ouvirão, mas não entenderão; olharão, mas não enxergarão nada."

Mateus 15:7 "Hipócritas! Isaías estava certo quando disse a respeito de vocês o seguinte":

Marcos 1:2 "como o profeta Isaías tinha escrito. Ele escreveu o seguinte: "Deus disse: Eu enviarei o meu mensageiro adiante de você para preparar o seu caminho."

Marcos 7:6 "Jesus respondeu: - Hipócritas! Como Isaías estava certo quando falou a respeito de vocês! Ele escreveu assim: "Deus disse: Este povo com a sua boca diz que me respeita, mas na verdade o seu coração está longe de mim."

Lucas 3:4 "Isso aconteceu como o profeta Isaías tinha escrito no seu livro: "Alguém está gritando no deserto: Preparem o caminho para o Senhor passar! Abram estradas retas para ele!"

Lucas 4:17 "e lhe deram o livro do profeta Isaías. Ele abriu o livro e encontrou o lugar onde está escrito assim:"

João 1:23 "João respondeu, citando o profeta Isaías: - Eu sou aquele que grita assim no deserto: preparem o caminho para o Senhor passar."

João 12:38 "para que se cumprisse o que disse o profeta Isaías: "Senhor, quem creu na nossa mensagem? E quem viu que era o Senhor que estava agindo?"

João 12:41 Isaías disse isso porque viu a revelação da natureza divina de Jesus e falou a respeito dele.

Atos 8:27-28 "Filipe se aprontou e foi. No caminho ele viu um eunuco da Etiópia, que estava voltando para o seu país. Esse homem era alto funcionário, tesoureiro e administrador das finanças da rainha da Etiópia. Ele tinha ido a Jerusalém para adorar a Deus. Na volta, sentado na sua carruagem, ele estava lendo o livro do profeta Isaías."

Atos 28:25 "Então todos foram embora, conversando entre si. Mas, antes que saíssem, Paulo ainda disse mais uma coisa: - O Espírito Santo tinha razão quando falou por meio do profeta Isaías aos antepassados de vocês".

Atos 28:26 "Pois ele disse a Isaías: Vá e diga a esta gente: Vocês ouvirão, mas não entenderão; olharão, mas não enxergarão nada".

Romanos 9:27 "E Isaías disse a respeito de Israel: "Mesmo que o povo de Israel seja tão numeroso como os grãos de areia da praia do mar, somente alguns deles serão salvos."

Romanos 9:29 "Como o próprio Isaías tinha dito antes: "Se o Senhor Todo-Poderoso não nos tivesse deixado alguns descendentes, seríamos agora como a cidade de Sodoma, estaríamos destruídos como Gomorra."

Romanos 10:16 "Mas nem todos aceitam a boa notícia do evangelho. Foi Isaías quem disse: "Senhor, quem creu na nossa mensagem?"

Romanos 10:20 "E Isaías foi mais corajoso ao anunciar o que Deus disse: "Eu fui achado por aqueles que não me procuravam e apareci aos que não perguntavam por mim."

Romanos 15:12 "E também Isaías diz: "Virá um descendente do rei Davi, filho de Jessé; ele aparecerá para governar os que não são judeus, e eles terão esperança nele."


I V. O livro de Isaías

A. Posto isto, o que vamos ler?

1. O que pregou Isaías na época do rei Joatão?

Isaías falou muito das condições sociais e políticas em que Judá se encontrava. E, às vezes, falava também de Samaria, que ainda não tinha sido le vada pra o exílio, nesta época. Ele não anda muito contente com o seu país e com o rumo das coisas. Vive anunciando um julgamento que está para cair sobre o país, pois há muitos problemas internos. A elite política, assim como os sacerdotes, recusam-se a encarar que há problemas internos, e esquecem-se que o Império assírio é uma ameaça crescente que paira sobre todos os pequenos reinos da região.

2. Por que Isaías se queixa tanto de seus conterrâneos?

Porque, diz ele em 1,2-3, a aliança com Iahweh foi esquecida em Judá. Embora Iahweh tenha um enorme amor por seu povo, os israelitas são incapazes de ver isso, revoltando-se contra ele e, assim, colocando-se abaixo até mesmo do boi e do jumento. Diz o profeta:

"Ouvi, ó céus, presta atenção, ó terra, porque Iahweh está falando: Criei filhos e fi-los crescer, mas eles se rebelaram contra mim. O boi conhece o seu dono,e o jumento, a manjedoura de seu senhor, mas Israel é incapaz de conhecer, o meu povo não pode entender". Isaías 1:2-3

3. Mas as pessoas não estão procurando Iahweh no Templo de Jerusalém?

Estão freqüentando o Templo sim. Mas para Isaías isso não basta. Encher o Templo com iniqüidade e solenidade é um erro enorme, diz Isaías em 1,10-20. Porque as pessoas que vivem levando tantas oferendas para Iahweh são as mesmas que não se importam em fazer o direito (mishpât) funcionar, não fazendo justiça ao desprotegido órfão e à abandonada viúva.

Isaías, em um dos textos proféticos mais violentos contra um culto que funciona só para mascarar as injustiças que se cometem no dia-a-dia, pede aos príncipes de Sodoma e ao povo de Gomorra - na verdade, de Jerusalém! - para ouvirem a palavra de Iahweh:

Isaias 1:11-13"Que me importam os vossos inúmeros sacrifícios? - diz Iahweh Estou farto de holocaustos de carneiros e da gordura de bezerros cevados; no sangue de touros, de cordeiros e de bodes não tenho prazer. Quando vindes à minha presença, quem vos pediu que pisásseis os meus átrios? Basta de trazer-me oferendas vãs: elas são para mim um incenso abominável. Lua nova, sábado e assembléia, não posso suportar iniqüidade e solenidade".

O profeta exorta em seguida: Isaias 1:17-17 "Lavai-vos, purificai-vos! Tirai da minha vista as vossas más ações! Cessai de praticar o mal, aprendei a fazer o bem! Buscai o direito (mishpât), corrigi o opressor! Fazei justiça ao órfão, defendei a causa da viúva".

4. E o governo de Jerusalém, como está se comportando?

Muito mal. Isaías faz em 1:21-26 um lamento fúnebre sobre a cidade, em hebraico, uma qiná, um canto que se entoava sobre o defunto, aqui usado para um morto-vivo, Jerusalém, prostituída ao mal. E o profeta fala da cidade personificada na imagem de uma prostituta que se vendeu à injustiça. E qual é essa injustiça? A corrupção pelo dinheiro e do dinheiro na qual caíram seus dirigentes. Mas o profeta tem esperança: a cidade será purificada, pela ação de Iahweh, como o metal o é pelo fogo, tornando-se, novamente a cidade da justiça.

Os vv. 21-23 contêm um lamento/repreensão sobre a cidade prostituída: "Como se transformou em prostituta (zônâh) a cidade fiel? Sião, onde prevalecia o direito (mishpât), onde habitava a justiça (tsedheq), mas agora povoada de assassinos"

5. E os dirigentes?

Isaias 1:23 "Os teus príncipes são uns rebeldes, companheiros de ladrões; todos são ávidos por subornos e correm atrás de presentes. Não fazem justiça ao órfão, a causa da viúva não os atinge".

6. Mas não há uma consciência de que estão construindo uma enorme crise?

Os chefes não têm consciência nenhuma da crise.

Isaías, em 2: 6-22, descreve um mundo fechado em si mesmo, onde os homens de seu tempo se curvam diante dos ídolos fabricados por eles mesmos e crêem na força de suas riquezas e no poderio de seus exércitos, importando costumes estrangeiros proibidos em Israel. Isaías acredita que os homens de sua terra perderão esta segurança, serão humilhados até o pó da terra, em condições infra-humanas, porque todas as obras das quais se orgulham, quer sejam da natureza, quer sejam as produzidas por suas mãos, serão condenadas por Iahweh, já que a solidariedade javista morreu há muito tempo.

Diz ele no v. 17 que no dia de Iahweh o orgulho do homem será humilhado, a altivez dos varões se abaterá, e só Iahweh será exaltado naquele dia.

7. Isaías insiste muito em suas denúncias?

Sim, insiste. Um bom exemplo disso é o famoso cântico da vinha, em Is 5:1-7. Em um poema lírico de grande beleza, uma espécie de "canção de amor", o profeta/poeta expõe o amor de Iahweh (= o agricultor) por seu povo, representado aqui como uma vinha plantada com todo o cuidado e carinho, mas que nada de bom produziu.

No v. 7, através de belíssimo jogo de palavras em hebraico, com sons semelhantes e sentidos contrastantes, Isaías descreve a situação judaíta: Pois bem, a vinha de Iahweh dos Exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá são a sua plantação preciosa. Deles esperava o direito (mishpât), mas o que produziram foi a transgressão (mishpâh); esperava a justiça (tsedhâqâh), mas o que apareceu foram gritos de desespero (tse'aqâh).

8. Os "ais" de Isaías caracteriza, na prática, este abandono do javismo?

Isaías caracteriza o abandono do javismo de várias formas. Uma das formas, é através de seis "ais", como em Is 5,8-24. O profeta denuncia o comportamento dos ricos e latifundiários, dos que vivem em grandes festas custeadas pelo trabalho dos pobres, dos que exploram o povo negando-lhe a justiça e dos que se fazem grandes e importantes vivendo em grandes banquetes.

Isaías 5,8: "Ai dos juntam casa a casa, dos que acrescentam campo a campo até que não haja mais espaço disponível, até serem eles os únicos moradores da terra". 9
A meus ouvidos disse o SENHOR dos Exércitos: Em verdade, muitas casas ficarão desertas, até as grandes e belas, sem moradores".

Isaías 5:11 "Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquenta! 12 Liras e harpas, tamboris e flautas e vinho há nos seus banquetes; porém não consideram os feitos do SENHOR, nem olham 13 Portanto, o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede. 14 Por isso, a cova aumentou o seu apetite, abriu a sua boca desmesuradamente; para lá desce a glória de Jerusalém, e o seu tumulto, e o seu ruído, e quem nesse meio folgava. 15 Então, a gente se abate, e o homem se avilta; e os olhos dos altivos são humilhados. 16 Mas o SENHOR dos Exércitos é exaltado em juízo; e Deus, o Santo, é santificado em justiça. 17 Então, os cordeiros pastarão lá como se no seu pasto; e os nômades se nutrirão dos campos dos ricos lá abandonados.

Isaías 5:18 "Ai dos que puxam para si a iniqüidade com cordas de injustiça e o pecado, como com tirantes de carro! 19 E dizem: Apresse-se Deus, leve a cabo a sua obra, para que a vejamos; aproxime-se, manifeste-se o conselho do Santo de Israel, para que o conheçamos".

Isaías 5:20 "Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz e da luz, escuridade; põem o amargo por doce e o doce, por amargo"!

Isaías 5:21 "Ai dos que são sábios a seus próprios olhos e prudentes em seu próprio conceito!"

Isaías 5:22 "Ai dos que são heróis para beber vinho e valentes para misturar bebida forte, 23 os quais por suborno justificam o perverso e ao justo negam justiça! 24 Pelo que, como a língua de fogo consome o restolho, e a erva seca se desfaz pela chama, assim será a sua raiz como podridão, e a sua flor se esvaecerá como pó; porquanto rejeitaram a lei do SENHOR dos Exércitos e desprezaram a palavra do Santo de Israel".

9. E como Isaías vê esta sua actividade profética?

Isaías 6:1-13, num relato, em que alguns pensam que escrito muito tempo depois, o profeta reflete sobre o sentido de sua missão e sobre o insucesso de sua pregação. Sua função foi de fato, pensa Isaías, pregar o fim e a morte de Judá.

10. Isaías 6:11-12 Até quando, ele pergunta, se deve ser o porta-voz de Iahweh?

“Até que as cidades fiquem desertas, por falta de habitantes, e as casas vazias, por falta de moradores; até que o solo se reduza a um ermo, a uma desolação; até que Iahweh remova para longe os seus homens e no seio da terra reine uma grande solidão”

B. E na época de Acaz e Ezequias, o que aconteceu em Judá?

1. Na época de Acaz

Aconteceu em Judá uma grande crise política e militar, provocada pela crescente ameaça do Império assírio e pelos muitos erros do governo de Judá.

Vamos olhar a situação internacional. A Assíria passou, a partir da política expansionista do rei Teglat-Falasar III, inaugurada em 745 a.C., a constituir a grande ameaça para os pequenos reinos da região. Israel (do norte), Damasco e outros da região tornaram-se tributários da Assíria. Golpes de Estado em Israel, alianças com a a Assíria ou contra a Assíria estavam na ordem do dia.

Então o rei golpista de Israel, fez uma aliança com Damasco e ambos decidiram invadir Judá, derrubar Acaz e colocar um estrangeiro em seu lugar, para usar o reino do sul numa coalizão militar contra a Assíria. Esta é a chamada guerra siro-efraimita, desencadeada em 734 a.C. Acaz, acuado, resolveu pedir o auxílio da Assíria e Teglat-Falasar III acabou com Damasco e tomou 3/4 de Israel, reduzindo o país a quase nada. Aliás, poucos anos depois, em 722 a.C., Samaria foi destruída pelas tropas assírias de Salmanasar V e de Sargão II, pondo fim ao reino do norte que congregava a maior parte das tribos israelitas. Judá, por enquanto, escapou da destruição.

2. Quanto custou para Judá esta ajuda assíria?

Judá perdeu sua independência. Entre outras coisas, Acaz viu-se obrigado a reconhecer os deuses assírios como seus libertadores e a prestar-lhes culto. Além disso, o rei de Judá foi obrigado a apresentar-se a Teglat-Falasar III para prestar-lhe obediência e teve que pagar forte tributo à Assíria, rapinando tesouros do palácio e do Templo e aumentando os impostos pagos pelo povo.

Então. a injustiça, que já era moeda corrente na época anterior, como denunciava Isaías, correu solta. A religião oficial era mantida pelo Estado e se calava, ou melhor, encobria os problemas com grandes festas, como se tudo estivesse bem. A situação econômica, entretanto, tornou-se péssima e Acaz ficou desmoralizado frente ao povo de Judá. E olhem que ele era um rei em começo de governo e ainda bem jovem, tendo, no início da crise, quando muito, 20 anos de idade.

3. Ezequias é a esperança para Judá

Chamava-se Ezequias e era filho de Acaz. Ainda criança, Ezequias foi associado ao trono, provavelmente com 5 anos de idade apenas, em 728/7 a.C. Mas o que podia um menino desta idade fazer por Judá? Manter a esperança. É que nesta época se ensinava em Judá que Iahweh escolhera Sião (= Jerusalém) como lugar privilegiado e fizera à dinastia davídica uma promessa de permanência eterna no poder. Se um rei davídico - como Acaz, neste caso - não fosse bem sucedido no governo, o problema poderia ser resolvido com o rei seguinte. Acaz estava indo muito mal, mas Ezequias era uma esperança de dias melhores.

Mas todos sabemos que o Novo Testamento apresenta este menino, que no contexto próximo é Ezequias,como uma profecia ao messias: a jovem mulher ('almâh) dará à luz um filho, seu nome será Emanuel (Deus-conosco) e ele comerá coalhada e mel até que chegue ao uso da razão. Até lá Samaria e Damasco serão destruídas.

Isaías 9:14-16: "Pois sabei que o Senhor mesmo vos dará um sinal ('ôth): Eis que a jovem concebeu (hinnêh hâ'almâh hârâh) e dará à luz um filho e por-lhe-á o nome de Emanuel ('immânû 'êl). Ele se alimentará de coalhada e de mel até que saiba rejeitar o mal e escolher o bem. Com efeito, antes que o menino saiba rejeitar o mal e escolher o bem, a terra, por cujos dois reis tu te apavoras, ficará reduzida a um ermo".

Os LXX, na sua versão grega da Bíblia, traduziram 'almâh por parthénos (= virgem). Mateus ao referir-se que esta virgem fala de Maria também, quando da concepção do messias, usou a versão dos LXX (cf. Mateus 1:23): Idoù he parténos (= a virgem) en gastrì hécsei (= conceberá) kai técsetai hyón...

Este menino além de Ezequias, é uma profecia do Messias. Em baixo vemos uma outras profecia a Ezequias e sem dúvidas sobre o messias também.

Isaías 9:5 diz: "Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, ele recebeu o poder sobre seus ombros, e lhe foi dado este nome: Conselheiro-maravilhoso (peleh yô'ts), Deus-forte ('el gibôr), Pai-eterno ('abhî'adh), Príncipe-da-paz (sar shâlôm)".

4. Quando Judá foi derrotado por Senaquerib, como reagiu Isaías?

Is 22,1-14 é um bom exemplo de sua atitude. Quando Jerusalém comemora a retirada dos exércitos de Senaquerib sem tê-la destruído, Isaías protesta. Protesta porque, segundo ele, a alegria está fora de lugar, permanecendo o perigo assírio. Jerusalém não saiu vitoriosa, mas foi vergonhosamente derrotada e não há motivo para festa.

Diz Isaías 22:1b-5a: "Que tens tu, afinal, que todos os teus habitantes sobem aos telhados cheios de júbilo, cidade ruidosa, cidade vibrante? Os teus trespassados não foram trespassados à espada, nem foram mortos na guerra. Os teus comandantes fugiram todos juntos, sem arcos, foram capturados, todos juntos foram capturados; eles tinham fugido para longe. Diante disso, eu disse: Desviai de mim os vossos olhos, que eu choro amargamente; não insistais em consolar-me da ruína sofrida pela filha do meu povo. Na verdade, este dia é um dia de inquietude, de derrota e de confusão.

C. Como terminou Isaías os seus dias, após cerca de 40 anos de actividade profética?

1. Como terminam os profetas.

Angustiados por não serem ouvidos. Vendo mais do que seus contemporâneos, mas sem conseguir convencê-los. Na verdade não sabemos como Isaías terminou a sua vida. Há apenas lendas. Um livro apócrifo do século I d.C., Vidas dos Profetas, escrito por um anônimo judeu da Palestina, diz que o filho e sucessor de Ezequias, Manassés, um dos piores reis de Judá, totalmente alinhado à política assíria, mandou serrar Isaías ao meio...

2. O Texto que avalia como o profeta viu sua missão é Isaías 30:8-17

Chamado por muitos de Testamento de Isaías, por causa do v. 8.

"Vai agora e escreve-o sobre uma prancheta, grava-o em um livro que se conserve para dias futuros, para todo o sempre, porque este povo é rebelde, constituído de filhos desleais, de filhos que se recusam a ouvir a Lei de Iahweh, e dizem aos videntes: "Não queirais ver" e aos seus profetas: "Não procureis ter visões que nos revelem o que é reto. Dizei-nos antes coisas agradáveis, procurai ter visões ilusórias. Afastai-vos do caminho, apartai-vos da vereda, fazei desaparecer da nossa presença o Santo de Israel".

D. O que mais chama a atenção na crítica social de Isaías?

1. Sua profunda semelhança com Amós.

Talvez os oráculos do pastor de Técua já fossem conhecidos em Jerusalém na época de Isaías. Afinal, são quase contemporâneos: Amós é de 760 a.C. e Isaías começa em 740 a.C. A problemática social era a mesma para ambos, embora Amós fosse um camponês e Isaías um homem culto ligado à corte.

2. Mas, Isaías, assim como Amós, ataca os grupos dominantes da sociedade:

Autoridades, magistrados, latifundiários, políticos. É duro e irônico com as damas da classe alta de Jerusalém em Is 3,16-24, assim como Amós o fora com as madames de Samaria em Am 4,1-3. Por outro lado, defende, com paixão, órfãos, viúvas, oprimidos, o povo explorado e desgovernado pelos governantes. Denuncia igualmente a máscara da religião que encobre a injustiça, como vimos em Is 1,10-20. Assim como Am 2,6-16 ou 4,4-5 e 5,21-27.

E. E a sua posição política?

1. Nisto ele é bem diferente de Amós.

Sua posição política depende das tradições sobre a eleição divina de Jerusalém e da dinastia davídica. Iahweh está comprometido com a cidade e com a descendência de Davi. É preciso que o povo confie em Iahweh e mantenha a calma mesmo nos piores momentos. Nada de recorrer, portanto, a auxílios estrangeiros, quer venham do Egito, quer venham da Assíria.

2. O contrário da fé é o medo

É o medo que se manifesta quando Judá busca segurança no poder das armas e das alianças políticas. Isaías, que é um poeta brilhante, empenha, nesta vertente política, toda a sua habilidade, para manter viva a esperança de seus conterrâneos. É um profeta profundamente utópico!

F. Afinal, o que pretendia Isaías com a sua pregação?

1. Isaías quer que Israel restabeleça o equilíbrio perdido na sua relação com Iahweh.

O homem de seu tempo se colocara no cume de um panteão terreno, dominando e decidindo tudo segundo mesquinhos interesses, sem exigências éticas de justiça e solidariedade. Isaías reconhece Iahweh como soberano, glorioso, santo.

E o homem, em geral, na sua condição humana, e, concretamente, o seu povo, os seus contemporâneos, como impuros e fracos.

2. Se Israel não voltar - virá o dia de Iahweh, e a arrogância humana será despedaçada.

Como diz Isaías 2:12-17: "Porque haverá um dia de Iahweh dos Exércitos contra tudo o que é orgulhoso e altivo, contra tudo o que se exalta, para que seja humilhado; contra todos os cedros do Líbano, altaneiros e elevados, e contra todos os carvalhos de Basã; contra todos os montes altaneiros e contra todos os outeiros elevados; contra toda a torre alta e contra toda a muralha fortificada; contra todos os navios de Társis e contra tudo o que parece precioso. O orgulho do homem será humilhado, a altivez dos varões se abaterá, e só Iahweh será exaltado naquele dia".

G. Qual é a sua visão profética:

Embora no contexto histórico imediato ele refira-se a Ezequias como a esperança para o povo de Deus, como já foi referido em cima, num contexto profético mais alargado e longínquo, Isaías revela que a última esperança para o povo de Deus é o messias, por isto vemos muitas referências a Jesus Cristo - o Messias.

1. Isaías faz muitas referências á vinda do Messias o Salvador.

Colocamos algumas textos em baixo, mas há muitos mais textos, pois encontramos muitas dezenas de referências ao messias feitas pelo profeta Isaías. Alguns dos textos messiânicos de Isaías são referidos pelos escritores do Novo Testamento, especialmente pelo evangelista S.Mateus e o apóstolo Paulo em suas espístolas.

Isaías 7:14 "A virgem conceberá e dará à luz um filho, e lhe chamará Emanuel" (Cumprimento: Mateus 1:18-23).

Isaias 8:14 "Ele . . . será pedra de tropeço e rocha de ofensa" (Cumprimento: Romanos 9:31-33).

Isaías 22:22 "Porei sobre o seu ombro a chave da casa de Davi" (Cumprimento: Apocalipse 3:7; Lucas 1:31-33).

Isaías 25:8 "Tragará a morte para sempre" (Cumprimento: Lucas 24; 1 Coríntios 15:54).

Isaías 28:16 "Eis que eu assentei em Sião uma pedra, pedra já provada, pedra preciosa, angular, solidamente assentada" (Cumprimento: 1 Pedro 2:6-8; 1 Coríntios 3:11).

Isaías 35:5-6 "Se abrirão os olhos dos cegos" (Cumprimento: Mateus 11:5).

Isaías 53:5,6 S "Pelas suas pisaduras fomos sarados" (Cumprimento: 1 Pedro 2:24-25).

Isaías 53:9 "Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte" (Cumprimento: Mateus 27:57-60).

Isaías 53:12 "Foi contado com os transgressores" (Cumprimento: Marcos 15:27-28).

2. Ele faz muita referência ao Espírito Santo de Deus

Associado às suas profecias, Isaías faz muitas vezes menção ao derramamento do Espírito Santo e à sua função de restaurar, lavar, purificar e mesmo julgar.

Isaías 4:4 "quando o Senhor lavar a imundícia das filhas de Sião e limpar Jerusalém da culpa do sangue do meio dela, com o Espírito de justiça e com o Espírito purificador".

Isaías 11:2 "Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR".

Isaías 28:6 "será o Espírito de justiça para o que se assenta a julgar e fortaleza para os que fazem recuar o assalto contra as portas".

Isaías 32:15 "até que se derrame sobre nós o Espírito lá do alto; então, o deserto se tornará em pomar, e o pomar será tido por bosque;"

Isaías 34:16 "Buscai no livro do SENHOR e lede: Nenhuma destas criaturas falhará, nem uma nem outra faltará; porque a boca do SENHOR o ordenou, e o seu Espírito mesmo as ajuntará."

Isaías 40:13 "Quem guiou o Espírito do SENHOR? Ou, como seu conselheiro, o ensinou?"

Isaías 42:1 "Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz; pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios".

IIsaías 44:3 "Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes;"

Isaías 48:16 "Chegai-vos a mim e ouvi isto: não falei em segredo desde o princípio; desde o tempo em que isso vem acontecendo, tenho estado lá. Agora, o SENHOR Deus me enviou a mim e o seu Espírito".

Isaías 59:19 "Temerão, pois, o nome do SENHOR desde o poente e a sua glória, desde o nascente do sol; pois virá como torrente impetuosa, impelida pelo Espírito do SENHOR".

Isaías 59:21 "Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o SENHOR: o meu Espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se apartarão dela, nem da de teus filhos, nem da dos filhos de teus filhos, não se apartarão desde agora e para todo o sempre, diz o SENHOR".

Isaías 61:1 "O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados;"

Isaías 63:10 "Mas eles foram rebeldes e contristaram o seu Espírito Santo, pelo que se lhes tornou em inimigo e ele mesmo pelejou contra eles".

Isaías 63:11 "Então, o povo se lembrou dos dias antigos, de Moisés, e disse: Onde está aquele que fez subir do mar o pastor do seu rebanho? Onde está o que pôs nele o seu Espírito Santo?"

Isaías 63:14 "Como o animal que desce aos vales, o Espírito do SENHOR lhes deu descanso. Assim, guiaste o teu povo, para te criares um nome glorioso".


I V. O esboço do Livro de Isaías

I. Profecia de denúncia e convite ( parte I) 1.1-35.10

1. Mensagem de Julgamento e promessas 1.1-6.13

2. Mensagem concernentes ao Emanuel 7.1-12.6

3. Mensagem de Julgamento sobre as nações 13.1-24.23

4. Mensagem de Julgamento, louvor, promessa 25.1-27.13

5. Os infortúnios dos descrentes imorais em Israel 28.1– 33.24

Resumo 34.1-35.10

I I. O procedimento de Deus com Ezequias 36.1-39.8

1. Deus liberta Judá 36.1-37.38

2. Deus cura Ezequias 38.1-22

3. Deus censura Ezequias 39.1-8

I I I. Profecia de consolo e paz (parte II) 40.1-66.24

1. A garantia de consolo e paz 40.1-48.22

2. O Servo do Senhor, o Autor do consolo e da paz 49.1-57.21

3. A realização do consolo e da paz 58.1-66.24


O Site que eu mais utilizei para elaborar estas apresentações sobre os Profetas foi o seguinte:

Vivos! O Site da Fé Cristã  http://www.vivos.com.br/172.htm


Em baixo pode dar uma olhadela ao meu post sobre a Maçonaria:

Sem comentários: