terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A Bíblia e a Eutanásia

A. Definição e implicações da eutanásia

A eutanásia é um acto que envolve um doente terminal que de sua própria vontade decide terminar com a sua vida, por não querer suportar mais o seu sofrimento.

No entanto, embora devamos toda a nossa compreensão aos doentes neste estado, a eutanásia não deixa de ser um acto em que a pessoa voluntariamente decide terminar com a sua própria vida.

Nós não temos o direito de escolher morrer!
Por essa razão, a eutanásia envolve uma questão de ética para a própria pessoa que comete o acto e para os familiares e profissionais de saúde que o apoiam. Acho que não podermos ignorar a eutanásia de uma forma superficial, na base da fórmula: "a pessoa está a sofrer, se escolher morrer, ninguém tem o direito de a impedir!".

Se ignoramos desta maneira tão superficial a questão de ética envolvida no acto da eutanásia, iremos aplicar hoje esta fórmula a doentes terminais, mas amanhã aplicaremos a fórmula a todos os doentes, e, mais tarde, a todos os casos.

E vamos chegar ao ponto em que qualquer pessoa tem o direito de escolher a hora de morrer!

Nao foi o que aconteceu com o aborto, que começou a ser praticado legalmente com muitas restrições, mas é hoje livremente praticado em muitos paises, sem quaisquer restrições!?

B. Sobre o ponto de vista cristão

Para os os cristãos o acto da eutanásia além da ética, envolve ainda uma questão religiosa, que os obriga a fazerem algumas perguntas:
O que diz a Bíblia?

1. O que diz a Biblia sobre a eutanásia?

2. Será que o homem tem direito de escolher a hora de morrer?

3. Será que esse direito pertence exclusivamente a Deus?

4. A existência da vida depois da morte, não devia fazer com que a pessoa deixe a morte chegar naturalmente?

5. A pessoa em vez de querer morrer antes do tempo, não devia estar antes preocupada em 'preparar o seu encontro com Deus'?

Portanto, o cristão não pode tomar uma decisão superficial baseada somente numa ideologia ou ciência qualquer ou na situação existencial da pessoa.

A sua decisão deve ser baseada naquilo que Deus diz na Biblia.

Mas antes de avançar mais um pouco, gostaria de dizer que nem todos aqueles que defendem a eutanásia, o fazem por quererem faltar o respeito pela vida. Antes pelo contrário, muitos defensores da eutanásia tomam esta posição pelo respeito que tem pelas pessoas que estão a sofrer. Por isso acham que a pessoa devia ter o direito de terminar a sua vida para acabar com o seu sofrimento.

Quem cuidou de pessoas em lares de terceira idade ou lidou com pessoas com certas problemas e doenças, e viu o estado deplorável em que muitos vivem, compreende melhor os sentimentos de algumas pessoas que defendem a eutanásia.

C. A posição cristã baseada numa compreensão geral das Escrituras

1. A Dignidade da Vida e da Morte.

Muitos dizem que a eutanásia é a garantia de uma 'morte digna', pois é por vezes a única forma de aliviar uma dor insuportável? Eles defendem a ideia que as pessoas deveriam ter o direito a cometer suicídio, se forem doentes em estado terminal?

Mas, sem querer aprofundar esta questão, nós podíamos perguntar, afinal o que é uma 'morte digna' e já agora o que é uma "vida digna"?

Irei dizer somente três coisas sobre esta questão da 'morte digna' e também da "vida digna"!.

Em primeiro lugar, gostaria de dizer que uma pessoa que vive para Deus, a sua vida e a sua morte será sempre digna, por mais trágica ou dolorosa que seja.

Em segundo lugar, gostaria de dizer que uma pessoa que vive para Deus, vai saber viver com dignidade por muito pobre que seja e também morrer com dignidade, sem ter necessidade de 'suicidar-se'!

Em terceiro lugar, gostaria de dizer que alguns defensores do aborto e da eutanásia dizem que nós todos temos o direito de ter uma "vida digna" e de ter uma "morte digna". Eles definem normalmente como sendo uma "vida digna" uma vida de conforto e uma "morte digna" como sendo uma morte sem sofrimento.

Desta forma quem não viver confortadamente não tem uma "vida digna" e quem morrer sofrendo não tem uma "morte digna"

Mas será que é correcto definir a dignidade da vida e da morte desta maneira?

Eu penso que não. Pois esta definição não condiz nem com a experiência da vida e da morte das pessoas que nos rodeiam no nosso dia a dia, nem recebe de maneira nenhuma o apoio das Escrituras Sagradas, que dizem "Bem aventurados os Pobres" e "Bem aventurados os que sofrem" como podemos ler nas Bem Aventuranças em Mateus 7.

2. A posição bíblica sobre a eutanásia

Eu acho que a posição cristã contra a eutanásia deve ser baseada numa interpretação geral das Escrituras Sagradas, no que diz respeito à concepção e manutenção da vida em geral antes e depois da morte.

Deve ser baseada em textos biblicos que revelam que:

1º Deus é o criador e manutentor da vida.

Deus é Soberano e tem domínio sobre tudo.

3º Deus criou o homem com vista a eternidade.

4º Deus permite o sofrimento e a dor.

5º Deus utiliza o sofrimento com vista à formação do homem.

6º Deus pode utilizar o sofrimento para corrigir e castigar.

7º Deus apresenta-se com direito sobre a vida e sobre a morte.

8º A preocupação da pessoa deve ser: 'preparar o seu encontro com Deus'.

Se analisarmos a eutanásia à luz destes 8 pontos, parece que dificilmente poderemos concordar com a eutanásia. Mas vejamos os textos bíblicos que parecem apoiar estes 8 pontos.

D. Os textos biblicos que apoiam estes 8 pontos.

Há assuntos em que a Bíblia não faz qualquer referência directa, mas uma compreensão geral das Escrituras permite-nos compreender qual é a posição que Deus revela nas Escrituras sobre estes assuntos. 

Um destes assuntos é a eutanásia. Eu penso que se verificarmos o que a Bíblia diz sobre estes 8 pontos, poderemos mais facilmente compreender a posição bíblica sobre a eutanásia.

Além dos textos referidos em baixo, há outros textos na Bíblia que apoiam estes 7 pontos.

1º Deus é o criador e manutentor da vida (e do mundo).

Deus é o soberano criador!
Genesis 1:1 No princípio, criou Deus os céus e a terra

João 1:2 Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez.

Colossences 1:16 Tudo foi criado por meio dele e para ele. 17 Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.

Portanto Deus é o criador e manutentor da vida e, por isso, é lógico que Deus deve ter o controle sobre quando e como a morte de uma pessoa acontece.

2º Deus é Soberano e tem domínio sobre tudo.
  
Eclesiastes 8:8a declara: “Nenhum homem há que tenha domínio sobre o espírito, para o reter; nem tampouco tem ele poder sobre o dia da morte”.

Salmos 68:20, lemos: “O nosso Deus é o Deus da salvação; e a DEUS, o Senhor, pertencem os livramentos da morte”.

Jó testifica em Jó 30:23: “Porque eu sei que me levarás à morte e à casa do ajuntamento determinada a todos os viventes”.  Veja também 1 Coríntios 15:26, 54-56; Hebreus 2:9, 14-15.

Portanto além de criador e manutentor da vida, Deus é Soberano e, por isso, Deus deve ter completo controle sobre quando e como a morte de uma pessoa acontece. Ele tem o domínio sobre a vida mas também sobre a morte.

Eutanásia é uma tentativa do homem de usurpar a autoridade Soberana de Deus sobre a vida e a morte.

3º Deus criou o homem com vista a eternidade

Criado para ser livre e eterno!
Genesis 1:27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

Genesis 3:3 mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais.

Romanos 6:23 porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Neste versículos, nós vemos que o homem foi criado com um propósito eterno. Ele foi criado para ser livre e eterno e não para morrer.

A morte é uma consequência do pecado, mas Deus agora oferece o dom da Vida Eterna a quem arrepender-se dos seus pecados colocar a sua fé em Cristo.

O homem até ao dia da sua morte pode voltar-se para Deus, receber Cristo como Salvador e Pessoal e como consequência receber gratuitamente a Vida Eterna.

Lucas 23:39-45  Foi o que fez um dos ladrões que morrendo na cruz ao lado de Jesus, disse-lhe "Senhor, lembra-te de mim quando entrares no paraíso", Jesus respondeu-lhe "Hoje mesmo estarás comigo no paraíso".

Naqueles minutos antes de morrer, este criminoso não estava preocupado com a dor ou com a morte, mas, em vez disso, sentindo o peso dos seus crimes, ele estava preocupado com o destino eterno da sua alma.

Mas o outro ladrão, zombando de Jesus, não temia nada. Foi por essa razão que o ladrão arrependido lhe disse, quando ele zombava de Jesus "Mas o outro ladrão o repreendeu, dizendo: Voçê não teme a Deus, nem estando sob a mesma sentença de morte?":

Este criminoso, ao contrário do seu colega, não sentiu o peso dos seus pecados, e mostrou não ter temor de Deus e da morte, mesmo tendo a morte à sua frente!

Será que as pessoas que escolhem a eutanásia e aqueles que o ajudam a morrer, temem a Deus e aquilo que vem depois da morte?

4º Deus permite o sofrimento e a dor

Lamentaçoes 3:32-33 pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão segundo a grandeza das suas misericórdias; porque não aflige, nem entristece de bom grado os filhos dos homens.

No livro de Jó vemos que Deus permitiu o sofrimento e até permitiu que o diabo infligisse sofrimento a Jó. Mas por final Deus abençoou Jó que se manteve fiel.

5º Deus utiliza o sofrimento com vista à formação do homem.

Para quê Senhor?
Hebreus 12:6-12 porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe. 7 É para disciplina que perseverais (Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai não corrige? 10 Pois eles nos corrigiam por pouco tempo, segundo melhor lhes parecia; Deus, porém, nos disciplina para aproveitamento, a fim de sermos participantes da sua santidade. 11 Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça.

Romanos 8:28 E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus. 

A questão do sofrimento e da dor é um assunto misterioso, pois nunca compreenderemos totalmente porque razão um Deus perfeito e justo permitiu que tanto sofrimento e dor se tornasse parte da sua criação.

É por esta razão que em vez de questionar a Deus "Porquê o sofrimento?", aquele que ama a Deus, devia procurar antes perceber como Deus pode utilizar o sofrimento na sua vida para o seu bem e o bem dos outros.

José sofreu muito na mãos dos irmãos. Mas leiam o que ele disse por final aos seus irmãos.

Gênesis 50:20-21 José, porém, lhes disse: "Não tenham medo. Estaria eu no lugar de Deus? Voçês planejaram o mal contra mim, mas Deus o tornou em bem, para que fosse preservada a vida de muitos. Por isso, não tenham medo. Eu sustentarei voçês e seus filhos.

6º Deus pode utilizar o sofrimento e a dor para corrigir e castigar.

Ezequiel 22:31 Por isso, eu derramei sobre eles a minha indignação, com o fogo do meu furor os consumi; fiz cair-lhes sobre a cabeça o castigo do seu procedimento, diz o SENHOR Deus.

Oseias 5:11 Efraim está oprimido e quebrantado pelo castigo, porque foi do seu agrado andar após a vaidade.

Se o homem insistir em viver no pecado, Deus poderá castigá-lo permitindo que o sofrimento o atinga. Primeiramente como uma chamada de atenção para ver se o homem se arrepende, depois como um castigo.

Claro, que não podemos dizer que todo o sofrimento é um castigo. Grande parte do sofrimento é simplesmente uma consequência natural da entrada do pecado original no mundo, e atinge a todas as pessoas, justas e injustas.

7º Deus tem o direito sobre a vida e sobre a morte!

Deuteronomio 32:39 Vede, agora, que Eu Sou, Eu somente, e mais nenhum deus além de mim; eu mato e eu faço viver; eu firo e eu saro; e não há quem possa livrar alguém da minha mão.

Apocalipse 1:18 e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno.

Apocalipse 2:10 Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida

8º A preocupação da pessoa deve ser: 'preparar o seu encontro com Deus'.

Prepara-te ó homem!
Hebreus 9:27-28 E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, 28 assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação

Hebreus 2:3 como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram

João 3:16 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna

Amós 4:12 PREPARA-TE ó Israel (ó homem) para te encontrares com o teu Deus.

E. Conclusão sobre a eutanásia:

Penso que se a sociedade perdesse mais tempo a melhorar os cuidados paliativos aos doentes terminais, haveria menos necessidade de se falar na eutanásia. Os cuidados paliativos iam melhorar a qualidade de vida no seu estado terminal.

Estes cuidados procuram aliviar as dores físicas, mas também o sofrimento psicológico.

Claro que o objectivo dos cuidados paliativos não devem ser, nunca, para prolongar a vida da pessoa ou acelerar a morte, mas, simplesmente, aliviar a dor e o sofrimento!!!

Infelizmente hoje há alguma confusão nos meios científicos entre o que é cuidados paliativos de qualidade e morte assistida pelo médico .

Por isso devíamos perguntar se em alguns casos os médicos estão a administrar aos pacientes cuidados paliativos de qualidade ou morte assistida pelo médico?

Se estiverem a praticar a morte assistida pelo médico, então estão a praticar eutanásia activa, e isto ainda é crime na maior partes dos países do mundo.

A morte assistida pelo médico, ou suicídio assistido pelo médico é legal unicamente na Holanda, Suiça e Bélgica e em dois Estados do EUA (Oregon e Washington).

Mas a Eutanásia é completamente legal na Holanda, Luxemburgo e Bélgica.

Em países aonde não é legal a morte (ou sucídio) assistida pelo médico (PAD - Phisician-assisted Death) e a eutanásia, os governos devem averiguar a forma como a comunidade médica está a administrar os cuidados paliativos, pois há valores éticos, morais e religiosos que estão em jogo nesta questão do Final da Vida - EOL (end of life), e os governos devem assegurar que não haja nenhuma confusão, e a comunidade médica esteja a administrar cuidados paliativos de qualidade aos pacientes terminais em vez apressarem a morte deles, ou seja estarem a administrar a morte (ou suicídio) assistida pelo médico.

Os cuidados paliativos de qualidade ajudarão a desenvolver a qualidade do final da vida dos pacientes terminais, o que é também um grande alívio para os familiares, sem no entanto apressar a morte deles.

Se conhecer bem a língua inglesa pode ler o artigo sobre:

Quality Palliative Care or Physician-assisted Death?

http://www.omicsonline.org/2155-9627/2155-9627-2-102e.pdf

A Ciência deve utilizar tudo o que estiver ao seu alcance para dignificar e honrar a Vida, mas, dentro de uma prespectiva holística, em que o homem é visto como um ser racional que tem um corpo e uma alma imortal, criado à imagem e semelhança de Deus.

Desta forma, a Vida é vista dentro da prespectiva que o que vem depois da morte é melhor do que a vida aqui na Terra. Esta prespectiva cria no homem uma Esperança e uma Fé inabalável, que lhe dão coragem e força mesmo para suportar resignadamente a dor e o sofrimento extremo.

É por esta razão que o conceito de 'morte digna' é muito relativo. Há pessoas que podem ter sido grandes crentes, muito fiéis a Deus e morreram de uma morte trágica ou dolorosa e prolongada. E quantos crentes não foram martirizados de uma forma horrível até morrerem.

No entanto há pessoas que foram muito infiéis a Deus e maus para os seus semelhantes e morreram de uma morte pacífica.

Afinal o que é uma 'morte digna' e o que é uma "vida digna"?

Irei repetir  as três coisas que já disse em cima sobre 'morte digna' e também "vida digna"!!!.

Em primeiro lugar, gostaria de dizer que uma pessoa que vive para Deus, a sua vida e a sua morte será sempre digna, por mais trágica ou dolorosa que seja.

Em segundo lugar, gostaria de dizer que uma pessoa que vive para Deus, vai saber viver com dignidade por muito pobre que seja e também morrer com dignidade, sem ter necessidade de 'suicidar-se'!

Em terceiro lugar, gostaria de dizer que alguns defensores do aborto e da eutanásia dizem que nós todos temos do direito de ter uma "vida digna" e de ter uma "morte digna". Eles definem normalmente uma " vida digna" como sendo uma vida de conforto e uma "morte digna" como sendo uma morte sem sofrimento.

Desta forma quem não viver confortadamente não tem uma "vida digna" e quem morrer sofrendo não tem uma "morte digna".

Mas será que é correcto definir a dignidade da vida e da morte desta maneira?

Eu penso que não. Pois esta definição não condiz nem com a experiência da vida e da morte das pessoas que nos rodeiam no nosso dia a dia, nem recebe de maneira nenhuma o apoio das Escrituras Sagradas, que dizem "Bem aventurados os Pobres" e "Bem aventurados os que sofrem" como podemos ler nas Bem Aventuranças em Mateus 5.

F. Gostaria de entregar a sua vida a Deus.

Se ao ler este post reconheceu que precisa de pedir perdão a Deus pelos seus pecados, colocando a Fé em Jesus Cristo, reconhecendo-o como seu Salvador Pessoal desta dorma receber a Vida Eterna, pode fazer com toda a sua sinceridade a oração em baixo:

Meu Deus e Pai

Perdoa-me Ó Deus!
Eu reconheço que sou um pecador  e sinto-me triste e sinceramente arrependido por todos os pecados que cometi. Eu dou-te graças porque o Senhor Jesus pagou todos os meus pecados ao morrer na cruz por mim. 

Eu peço-te que me perdoes os meus pecados e me dês a Vida Eterna e obrigado pois eu sei que o Seu sangue precioso me pode purificar completamente de todos os meus pecados

Entra agora na minha vida ó Deus e ajuda-me a viver completamente para ti.

Tudo isto te peço em nome do nosso Senhor Jesus Cristo. Amém


Neste post vem a minha posição pessoal sobre a eutanásia que se encontra já editada no meu blog nos Assuntos Controversos:

http://religiao-filosofia.blogspot.com/2007/06/controvrsia-11.html

2 comentários:

Verdade em Amor disse...

Muito bom. Apreciei muito.

Heinz Muehlheim disse...

Artigo bem fundamentado bíblicamente.