terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A crise da adolescência!

A. A Adolescência na etapa da 'inocência' era "muito Bom".

Ao lermos o capítulo 1 de Gênesis, vemos que no final de cada dia ou etapa da criação, a Bíblia diz "E viu Deus que era Bom" e no final da criação depois de ter criado o homem, a Bíblia diz "E viu Deus que era muito Bom".

Desta forma, como eu vou falar na 'crise da adolescência", poderia começar por dizer que o comportamento do homem na altura da 'inocência' era muito Bom", pois o pecado original ainda não tinha entrado no mundo.

Nós sabemos que nessa altura da 'inocência' Adão e Eva andavam nus, não pecavam e se tivessem tido filhos nessa altura, a adolescência dos seus filhos "teria sido muito Boa".

A adolescência hoje!
Mas eles desobedeceram, pelos vistos mesmo antes de terem tido o primeiro filho, e o que "era muito Bom" passou a ser "Mau".

Ao cairem do estado da 'inocência', por causa da entrada do pecado original no mundo, os seus filhos ao chegarem à etapa da adolescência conheceram os conflitos a nível da sexualidade e de outras transformações físicas e psíquicas que todos os adolescentes conhecem hoje.

É por causa da entrada do pecado no mundo que hoje podemos falar da "crise da adolescência". Pois o aparecimento da sexualidade e outros aspectos ligados a esta etapa da adolescência, irão causar pertubação, complexos e sentimentos de culpa ao adolescente.

Mas, embora o processo não seja "muito Bom"como na altura da 'inocência', o adolescente deve saber que ele está a passar por um processo natural e normal.

Não há nada de anti-natural ou de anormal nos 'desejos' sexuais e nas transformações físiológicas e psicológicas que surgem na vida do adolescente. Ele terá que aprender a lidar com estes 'desejos' e 'transformações', e de uma forma muito especial nos momentos em que isto lhe poderá causar perturbações, complexos e culpa.

O adolescente nunca deve pensar que ele está a passar por tudo isto sozinho, pois todos os adolescentes passam pelo mesmo processo.

Ele nunca deve pensar também que está a passar por algo diabólico, não há nada de diabólico na adolescência, é um processo como já disse em cima natural e normal, só não é "tão Bom" como na altura da 'inocência', isto por causa da entrada do pecado no mundo.                                                                            
B. Como pode o adolescente enfrentar a 'crise da adolescência'.                                                          
Mas podemos agora perguntar: como é que o adolescente pode então enfrentar a 'crise causada pelo aparecimento da sexualidade' e outras 'transformações'?                                                                                                                  
1. Em primeiro lugar vou falar da 'masturbação'.

A 'masturbação' faz parte do processo natural da adolescência. É claro que, por muito estranho que nos possa parecer, na altura da 'inocência' em que o processo era "muito Bom" o adolescente não iria ter necessidade de recorrer à 'masturbação' para responder ao apelo dos desejos e necessidades sexuais!

A 'masturbação' é certamente uma consequência da entrada do pecado no mundo, mas, de um outro lado, não deixa de ser uma resposta natural ao apelo desses desejos sexuais que começam a surgir no adolescente e que ele sente grande dificuldade em conter, em parte também pela falta de maturidade espiritual e mental que iremos falar mais à frente.

Como é que o adolescente deve então lidar com a 'masturbação'?

Eu penso que ele deve lutar contra a prática da 'masturbação', mas não deve deixar-se abalar ou derrotar se cair na 'masturbação', como se algo de anormal e diabólico esteja a passar-se com ele. E, paralelamente à sua luta, ele deve continuar sempre a buscar o perdão e o apoio de Deus, orando, lendo a Bíblia, indo à Igreja e testemunhando de Cristo.

Um golo que o adolescente deve estabelecer, é procurar na medida do possível (com a ajuda de Deus) espaçar no tempo as experiências do 'acto' da masturbação, para não cair no 'vício da masturbação'. Ao fazer isto, ele irá cair menos vezes na masturbação e sentir-se-á muito melhor com Deus, com os outros e com ele próprio!

Não estou a dizer com  isto que o adolescente deve criar a ideia de que a masturbação afinal não é assim tão má, só deve ser controlada e praticada no seu mínimo.

Não, a 'masturbação' é impureza é lascívia, e a lascívia é um pecado.

Gálatas 5:19 "Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia,...."

Por isso,  ideal e o golo do adolescente e de um jovem é não cair na prática da masturbação, é viver sexualmente falando uma vida completamente santa.

Mas, de outro lado, devemos ser realistas e saber que a 'masturbação' é sem dúvidas um dos maiores conflitos pelo qual passam os adolescentes  e jovens, sejam cristãos ou não cristãos e devemos procurar ajudar e apoiar os adolescentes e jovens em vez de desanimá-los e condená-los a ponto de alimentar pensamentos e comportamentos destrutivos e até tirar-lhes a vontade de viver.

Devemos saber também que os adolescentes ao amadurecerem mentalmente e espiritualmente, ao entrarem na idade juvenil, ou adulta, podem conseguir vencer o 'vício da masturbação' e muitos chegam mesmo ao ponto em que nunca mais praticam a 'masturbação'.

Temos que ter fé em Deus e orar e fazer o melhor que podemos fazer por neles.

Este deve ser o golo dos pais, conselheiros e amigos ao tentar ajudar os seus adolescentes e jovens, que eles vençam o acto da 'masturbação', mas, para isto, precisamos de ter paciência, perseverança, graça, pois afinal é assim que Deus lida com cada um de nós.

Afinal todos nós temos as áreas de fraqueza, muitos vezes causada por certos traços de personalidade e até pela nossa educação e que nos atormentam e nos fazem continuamente pecar.

Este deve ser também o golo de qualquer adolescente, vencer a 'masturbação', mas, contudo, o adolescente deve sempre lutar contra pensamentos destrutivos que possam passar pela sua mente, caso ainda não tenha conseguido chegar a vencer o vício ou a prática da masturbação!

Ele deve estar sempre consciente que 'o desejo sexual' que aparece na adolescência não é nada de anti-natural, anormal e muito menos diabólico. E deve ter fé que Deus o ajudará a amadurecer e a aprender a lidar com os seus 'desejos sexuais' e as suas transformações físicas e psíquicas.

2. Em segundo vou falar de alguns comportamentos sexuais perigosos

A adolescência e a gravidez!


O adolescente deve evitar cair em comportamentos sexuais perigososos que só irão agravar a 'crise da adolescência', tais como ter relações sexuais prematuras fora do casamento, cair na prática do homossexualismo e da pornografia que hoje está tão acessível aos adolescentes por causa da Internet.

Lembro que as relações prematuras, estão na origem de muitos casos de gravidez não desejada na vida de muitas adolescentes.

Nunca é demais salientar ao adolescente os cuidados que ele deve ter para não cair nestas práticas perigosas que poderão marcar a sua vida de uma forma negativa e criar-lhe problemas no futuro.

A Sociedade, a Escola, a Igreja e os Pais, deviam fazer tudo para proteger os adolescentes de cair nestas práticas, repito, nas relações sexuais prematuras, no homossexualismo e na pornografia.

Pode ler o meu post sobre Pornografia, em inglês. Faço propaganda a um folheto muito bom:

What does the Bible say about pornography?

B. Factores a considerar durante a 'crise da adolescência'.

Seja qual for a experiência que o adolescente esteja a passar, seja nos conflitos causados pela 'masturbação', ou causados por um dos comportamento sexuais perigosos acima referido, ou por outras transformações físiológicas e psicológicas, ele deverá tomar em conta alguns factores que o poderão ajudar a manter o equilibrio ou a recuperar o equilibrio caso ele tenha caído no 'vicio da masturbação' ou num desses comportamentos sexuais perigosos ou esteja a ter dificuldades em encarar algumas das suas tansformações físiológicas e psicológicas.

Eu estou a falar nesta secção para adolescentes que já entregaram a vida a Jesus Cristo e que já têm um relacionamento com Deus. Mas os 4 princípios citados em baixo podem ser seguidos por qualquer adolescente, mesmo por adolescentes descrentes, na esperança que um dia se convertam a Cristo e desta forma possam viver com mais intensidade este princípios. 

1. O relacionamento espiritual com Deus.

O adolescente deve saber que se pecar, qualquer que seja o pecado, se ele confessar com toda a sinceridade e arrependimento e buscar o perdão, Deus o perdoará sempre.

Ele deve procurar intensificar o seu relacionamento com Deus, falando regularmente com Deus pela oração, lendo a Bíblia, indo aos cultos da Igreja, frequentando as actividades juvenis e testemunhando sempre de Cristo à sua volta.

Ele não deve permitir que o diabo utilize os conflitos pelo quais está a passar para 'sussurar' aos seus ouvidos que "ele não presta" ou que "Deus nunca o perdoará" ou que "Deus não é capaz de o ajudar"  ou até mesmo que "Deus não existe, pois se existisse não permitiria nada dissso" ou que o encha de "pensamentos negativos e destrutivos e de confusão".

Ele deve dar sempre uma grande "NÃO" ao diabo e prosseguir no seu relacionamento com Deus.

2. O relacionamento com os pais e conselheiros.

O adolescente deve manter a abertura com os pais e com amigos e conselheiros maduros que o possam esclarecer, aconselhar e orar por eles, pois esta é uma boa medida e necessária.

A adolescência é uma "reviravolta" contínua, nada fica parado, está tudo em mudança, por causa das sucessivas transformações sexuais, físicas e psiquicas que se estão a operar no seu corpo e na sua mente.

O adolescente deve ter fé e esperança que esta "reviravolta" vai terminar um dia, e ele irá entrar na etapa juvenil em que o processo de crescimento estabelizará e ele então passará a enfrentar a vida com mais sabedoria e equilibrio.

Ele deve lutar para não se deixar derrotar durante esta etapa de "reviravolta", mas prosseguir sempre para a frente até a "reviravolta" terminar. Para isto ele precisa da ajuda dos pais, de amigos e conselheiros verdadeiros e acima de tudo da AJUDA DE DEUS.

3. O relacionamento mental e social com a sociedade.

O adolescente deve procurar gastar algum tempo em actividades sociais que sejam úteis não só para si mesmo, mas também para a vida de outras pessoas e da sociedade em geral. A actividade escolar está inserida neste factor social importante.

Ele deve evitar a todo o custo desenvolver uma amizade íntima com amigos e amigas que o poderão desviar dos caminhos de Deus e de frequentar lugares que não sejam bons para a sua vida espiritual.

I Coríntios 15:33 "Não vos enganeis: as más companhias corrompem os bons costumes".

Salmos 1: 1 "Bem aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem assenta na roda dos escarnecedores".

4. O relacionamento com actividades físicas.

Um adolescente que procure ter um bom relacionamento com Deus, envolvendo-se na vida da sociedade e da Igreja, fugindo dos maus companheiros e dos maus lugares e gastando algumas das suas energias físicas num desporto ou em actividades físicas úteis, normalmente falando sentir-se-á melhor preparado para enfrentar os desafios da adolescência e para dizer não às tentações do mundo e do diabo que o querem enganar e derrotar.

C. A crise da adolescência e o perigo de pensamentos negativos e destrutivos

O adolescente nao deve desanimar...
Por muita acentuada que seja a sua crise, o adolescente nunca deve desanimar e deixar-se dominar por pensamentos negativos e destrutivos.

Ele deve ter sempre fé e esperança.

Os pais, os conselheiros, os amigos, os professores e a sociedade devem apoiar os adolescentes, ajudando-os a não desanimar, mas antes a alcançar gradualmente a maturidade mental e espiritual que precisam para lidar com os desejos sexuais e outros aspectos ligados à etapa da adolescência.

Sabemos que quando o adolescente não consegue lidar de uma forma equilibrada com a "crise da adolescência e começa a sentir-se muito fracassado, ele pode cair na depressão, no recurso às drogas e ao álcool e até, às vezes, em comportamentos mais destrutivos.

Mas é claro que a depressão, o recurso às drogas, ao álcool e outros comportamentos destrutivos, nunca são  provocados unicamente pela "crise da adolescência". Há sempre outros factores sociais, emocionais e mentais envolvidos nisto.

Mas sejam quais forem os factores que estão a fazê-lo sentir-se fracassado, o adolescente nunca deve desanimar e recorrer a comportamentos destrutivos. Ele deve ter sempre fé e esperança.

D. Ninguém é perfeito e nunca mais peca!

Se alguém pecar, temos um advogado nos céus.

É claro que nem o adolescente, nem ninguém vai tornar-se numa pessoa perfeita e deixar de pecar.

O adolescente a fé e a esperança!
Os crentes precisam de recorrer sempre a Deus para perdoar, purificar e dar força para não tornarem a cair em pecados que afectam as suas vidas. Somos todos diferentes e temos também pontos fortes e pontos fracos diferentes.

Mas seja o que for, todos nós precisamos sempre do 'perdão' de Deus, tanto quanto precisamos do 'pão' para viver.

É por isso que o Senhor Jesus nos ensina na oração do Pai Nosso a pedir o pão e o perdão. "o pão nosso de cada dia dá-nos hoje e perdoa os nossos pecados". Mateus 6:11-12

Mas, os crentes podem ter esperança em Deus, que os ajudará a melhorar a sua conduta.

Nós lemos os seguintes versículos na Bíblia.

"I João 2:1 Meus filhinhos, estas coisas vos digo para que não pequeis, e, se alguém pecar, temos um advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo".

I João 1:9 "Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os peacados e nos purificar de toda a injustiça".

Mateus 24:42 "Vigiai e orai para não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca".

E. Pode um adolescente servir a Deus?

Será que um adolescente crente, que está passando pela "crise causada pela adolescência" devido ao aparecimento da sexualidade e de outros factores de ordem social, física e psíquica, pode servir a Deus?

Marca a diferença...
Eu acho que o adolescente crente deve em primeiro lugar compreender a crise pela qual está a passar e aprender a lidar de forma positiva com isto, recorrendo à ajuda de Deus, familiares, amigos e conselheiros como já vimos nos capítulos anteriores.

Em segundo lugar, tendo ele conhecimento da "crise" e da forma como lidar positivamente com a "crise", ele deve procurar ser um adolescente diferente aos adolescentes do mundo e da escola. Ele deve procurar marcar a diferença, ao viver uma vida para Deus.

Desta forma, eu posso responder e dizer que sim, eu acho que é possível um adolescente crente, seja quais forem as dificuldades e lutas pelas quais esteja a passar, viver para Deus, orando, lendo a Bíblia, indo à Igreja, fugindo do mundo e do pecado e envolvendo-se na vida da Igreja e ajudando a expandir o Reino de Deus à sua volta e no mundo todo.

F. Se ainda não fizeste, convida a Cristo a entrar na tua vida agora.

Uma das últimas palavras ditas por Jesus na Cruz do Calvário foi “está consumado” que de facto quer dizer “tudo está pago”.

Ele morreu na cruz por voçê!
Compreendes então que Jesus pagou todos os teus pecados na cruz do calvário: a mentira, o roubo,  a cobiça e todos os outros pecados, tendo derramado o seu precioso sangue para te purificar.

E assim oferecer-te o presente da Vida Eterna!

Se o que eu tenho falado neste post sobre Deus, e sobre Cristo, faz sentido para Ti e percebeste que és um pecador e queres dizer a Deus que a partir de hoje colocas a tua Fé somente para Cristo, pedindo perdão pelos teus pecados, eu sugiro que faças a seguinte oração:

Oração de entrega e conversão.

Senhor Deus, eu quero ir para o Céu e, por isso, eu reconheço que na cruz do Calvário o Senhor Jesus derramou o seu precioso sangue para pagar todos os meus pecados.

Eu desejo muito receber o perdão que me ofereces através da sua morte.
Perdoa-me ó Deus...

Peço que o Senhor Jesus entre na minha vida agora e me dê a Vida Eterna.

Peço que Jesus faça morada no meu coração e seja meu Rei, meu Senhor e meu Salvador. De hoje em diante eu não quero ser mais controlado pelo pecado, mas quero seguir-te a Ti todos os dias da minha vida.

Por isso eu oro assim, no nome precioso e santo de Jesus, amém.

Se tomaste uma decisão para Cristo por causa daquilo que leste nest post e fizeste esta oração, envia-me um email ou deixa um comentário se faz favor para eu orar por ti e passa este post a outros.

G. Anexo: Conhecendo e lutando contra as estratégias do diabo

Vamos deixar que os crentes, ou seus filhos, ou membros da Igreja sejam escravizados pelo vicio e pelo diabo?

E ficamos impávidos a ver o “ladrão a matar e a destruir, a escravizar e a oprimir” S.João 10:10, e não fazemos nada? Claro que não.

Vamos falar sobre o Processo gradual da escravização

O processo gradual da escravização tem três etapas: a atracção, a sedução e a aquisição.

1.    A  Atracção

A primeira etapa é a atracção.

Aquilo que atrai a pessoa para o mundo dos vicios  e, aos poucos, ela vai fazendo um ‘Pacto de amizade’ com estas “atrações” viciosas e pecaminosas e com o diabo.

O quê que leva a pessoa a ficar atraída para o mundo destas “atrações” viciosas e pecaminosas, visto simplesmente do ponto de vista do “comportamento humano”?

(Estou a excluir aqui situações que possam estar ligadas com a saúde mental das pessoas e que precisam de intervenção médica).

Em primeiro lugar, é o apelo muito forte do mundo exterior, aumentado hoje pelo uso da Televisão e Internet que facilita o contacto  com estas “atrações” viciosas e pecaminosas.

Em segundo lugar, temos os problemas de rejeição, inferioridade, insegurança etc que leva as pessoas a procurarem uma resposta ou saída no contacto com estas “atrações” viciosas e pecaminosas, que facilmente encontram na Televisão e na Internet.

O grande problema  é  que a “atração” é gradual e começa com uma familiarização muito leve com uma destas ““atrações” viciosas, mas vai aumentando e  tornando-se mais feio.

Ninguém fica logo escravizado, isto leva o seu tempo.  Mas, o melhor,  é a pessoa procurar libertar-se quando ainda está nesta primeira etapa  –  a Atração.

A Biblia diz “não deis lugar ao diabo” Efesios 4:27

A pessoa ao dar lugar a estas “atrações”, dá lugar ao diabo, fortalecendo o ‘Pacto’ de amizade” com ele e, aos poucos, entrará na segunda etapa - a “sedução”.

2.    A sedução

A segunda etapa é a sedução.

Cuidado com a “sedução”!
A “sedução” está logo presente no início da “atracção”, quando a pessoa começa a estabelecer a familiaridade com estas “atrações” viciosas e pecaminosas.

A “sedução” fala dos efeitos que estas “atrações” viciosas e pecaminosas, acabam por ter na vida da pessoa.

A pessoa, aos poucos, é de tal forma induzida ao mal e ao erro que acaba por ficar cega e perder a noção  do mal que estas “atrações” viciosas e pecaminosas vão ter na sua vida.

A pessoa chega mesmo a pensar que estas “atrações” são boas e que algum benefício sairá do seu companheirismo com estas “atrações” viciosas e pecaminosas, que podem ser a droga, álcool, prostituição, pornografia, batota etc etc etc

Por isso, se chama “sedução”, que significa “encanto”, “fascinio”, “decepcão”, resumido em duas palavras significa “engano e cegueira”.

Normalmente, a pessoa nesta fase começa a rejeitar os bons valores morais e espirituais que no passado até aceitava, e começa a rejeitar a ajuda e conselho dos pais, conselheiros, Igreja e acima de tudo de Deus.

Mas tudo isto faz parte desta segunda etapa – a “sedução”, incluindo a rejeição dos valores morais e espirituais que aprendeu.

Como a pessoa já entrou na segunda etapa e está “seduzida” (cega e enganada), ela pensa que não precisa mais desses valores, porque de toda a forma,  ela pensa que se ela quiser um dia deixar estas “atrações” viciosas e pecaminosas, ela pode fazer sem ajuda de nenhum destes valores, pais, conselheiros, Igreja e Deus.

E, normalmente, nesta etapa, a pessoa começa a procurar o companheirismo com as pessoas que como ela estão escravizadas por estas “atrações” viciosas e pecaminosas

E, assim, aos poucos, a pessoa vai ficando cada vez mais debaixo da “sedução”.                                      
E, a sedução vai aumentando gradualmente, quanto mais a pessoa fica escravazida ao “vicio”, mais seduzida fica, quer dizer, mais cega e mais enganada fica!

C. A Aquisição

Em primeiro lugar,  vimos as causas que levam a pessoa a ser “atraída” por estas “atrações” viciosas e pecaminosas. 

Em segunda lugar, vimos como a pessoa vai ficando gradualmente “seduzida” - “cega e enganada”.

A Terceira etapa fala da “Aquisição”.

“adquirida”, “dominada” 
A Aquisição, quer dizer que a pessoa passa a ficar dominada por estas “atrações” viciosas e pecaminosas e pelo diabo.  

Aquisição significa “adquirida”, “dominada” ou “oprimida”.

Neste terceiro passo que é a aquisição,  estas “atrações” viciosas e pecaminosas se instalam definitivamente em sua vida.

Mas, não importa a etapa em que está! A pessoa pode sempre “quebrar” estas “atrações” viciosas e pecaminosas, se procurar ajuda nos pais, conselheiros, Igreja e em Deus.

Do ponto vista spiritual, a pessoa deve fazer o que a Biblia diz em Tiago 4:7-10 

7 Portanto, sujeitai-vos a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês. 

8 Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês! Pecadores, limpem as mãos, e   vocês, que têm a mente dividida, purifiquem o coração.

9 Entristeçam-se, lamentem-se e chorem. Troquem o riso por lamento e a alegria por tristeza.

10 Humilhem-se diante do Senhor, e ele os exaltará.

Primeiro

Deve sujeitar-se e aproximar-se de Deus e resistir ao diabo. 

Lendo a Biblia, frequentando uma Igreja, procurando a companhia dos familiars e amigos crentes, orando e declarando a derrota do diabo na sua vida.

Segundo

Deve ficar triste, humilhar-se e pedir perdão a Deus. 

Ficando triste e humilhado por causa do pecado, chorando e lamentando diante de Deus, limpando a vida desse pecado, pedindo perdão a Deus.

Humilhem-se diante do Senhor!
Desta forma, o “Pacto de amizade” com o vicio e o diabo será quebrado. 

Se a pessoa estiver mesmo decidida a lutar, pode mesmo escrever com a sua mao um “Pacto de amizade” com Deus e depois assinar por baixo, pondo a data.



Se puderes, podes consultar um dos posts do meu blogue, em baixo:








1 comentário:

valeria disse...

fabiola ojeda coinsidero q desanimar a los jovenes es lo peor q se puede hacer ,aveces deverian dejarnos cometer errores para poder aprender de eso mismo